A reflorestar o bosque poético.
Mantenham-se ligados!
Obrigado.

Feedback

Para mim é muito importante conhecer a vossa opinião sobre os conteúdos e formatos deste blog.
Por favor deixem as vossas criticas e sugestões.
Todos vós, leitores, fazem tão parte deste mundo como as palavras nele escritas.

Obrigado.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Versopia, Ensaio I


Versopia

É mais que poesia,
muito mais que um sentimento
É uma estranha Ironia
e a minha forma de sustento.

É um dar que nunca acaba
e um ter que não termina
Um impulso que arrebata
toda uma escrita fina.

É a poesia irreverente
na rima mais sadia
A angustia deprimente
da mente mais vadia.

Versopia é um sentir
de uma forma de não estar
A maneira de fugir
do coração que se quer matar.

É um estado indefinido
que não ata nem desata
Qualquer desejo reprimido
tanto corroí, até que mata.

Um explodir em sensações
na experiência d' escrever
mil e uma emoções
que uma vida tem que ter.

Versopia é poesia em desvario
da revolta ainda a quente
A proposta e desafio
à geração decadente.

1 comentário:

Alberta disse...

Lindo... Tocante... Maravilhoso... e finalmente, deslumbrante